Duração da sessão
00h00m
0
Missão 1
10€
10€
Missão 2
15€
15€
Missão 3
25€
25€
Missão 4
50€
50€
Missão {{ i + 1 }}
{{ mission.label }}
{{ mission.label }}
{{ mission.label }}

Para começar o desafio "Quem sabe, ganha 100", registe-se. Se já está registado, entre na sua conta.

{{playerInfo.messages[0].message.value}}

Tem {{ playerInfo.days_left }} dia(s) para completar as missões.
Duração da sessão
00h00m
page__skip_to_main_content
Agora a rivalidade é só um pormenor

Blog

Agora a rivalidade é só um pormenor

França e Bélgica não são apenas dois países vizinhos. Entre ambos existe uma histórica rivalidade que, contudo, pouco equilíbrio exibe. A França, por ser incomparavelmente maior, é uma nação com outra expressão e poder. Isso é válido nas mais diversas áreas e, claro, também se aplica ao desporto, em geral, e ao futebol, em particular. Mas, naturalmente, a dimensão distinta dos gauleses não faz com que levem sempre a melhor. Olhando então para a primeira meia-final do Campeonato do Mundo não custa adivinhar dificuldades para o conjunto liderado por Didier Deschamps. A Bélgica, apesar de ter chegado à Rússia a ‘correr por fora’, foi confirmando que possui as armas necessárias para sonhar alto. Tanto que, sendo normal ver atribuído o favoritismo à França, ninguém ficará admirado se vencerem os belgas que, nomeadamente no aspecto ofensivo, são uma das equipas mais cotadas da actualidade.

A Bélgica é, de facto, muito forte no ataque, razão pela qual tem mostrado grande facilidade em conseguir golos. E, já se sabe, concretizar é um primeiro passo para vencer. Porém, do outro lado está uma França talvez mais equilibrada, capaz de fazer a diferença lá a frente, mas com aparentemente melhores armas na defesa. A equipa é muito versátil, existem soluções variadas – e tantos elementos de qualidade comprovada ficaram de fora da lista dos 23 eleitos – e isso deixa o treinador até com problemas para, jogo a jogo, encontrar o onze mais adequado. Mas, desta ou daquela forma, a França lá tem conseguido driblar os obstáculos.

Prevê-se um jogo emotivo, ‘rasgadinho’ – não só pela tal rivalidade, mas também por estar em causa o acesso à decisão de um Mundial – e com forte cariz ofensivo. É muito provável que, na senda do que se tem visto em toda a prova, tenhamos golos. Um nulo, acrescente-se, é muito improvável. Face a isto e procurando escapar à tentação habitual da opção pelo “1x2”, encaramos como boas soluções as seguintes apostas:
- Ambas as equipas marcam (Odd 1.68)

- Mais de 2,5 golos no encontro (Odd 1.95)

- Mais de 8 cantos (Odd 1.33)

 

Luís V.

Nota: Odds sujeitas a variação. Consulte o valor actual das Odds em nossaaposta.pt